Turismo vegetariano no Porto

14741093_10209819149828187_694106807_n

Desde que deixei de comer carnes, percebi que não podia limitar-me a frequentar apenas restaurantes vegetarianos. Apesar de termos belíssimos exemplos com muita qualidade no Porto, isso não me levou a restringir as opções, sempre que ia comer fora.

Habituei-me a comer em todo o tipo de restaurantes e percebi que é importante termos a nossa “tribo”, mas continuarmos ligados à nossa cultura, é essencial para o nosso equilíbrio emocional.

Descobri que a comida tradicional portuguesa oferece muitas opções vegetarianas, com sabores incríveis e ricas em ingredientes que não se comem noutras partes do planeta.

14741098_10209819149868188_883055998_n

O problema de Portugal e em específico no Porto, é a comunicação deficiente na restauração. Quando entro num restaurante tradicional e digo que sou vegetariana a resposta mais comum é: “Só temos omelete e salada!”. Como conheço a nossa gastronomia sei exatamente o que pedir, mas um turista (vegetariano) não sabe e normalmente abandona o local.

Também para evitar este tipo de respostas não digo a palavra mágica e sou extremamente feliz com o que me colocam no prato!

Por isso é tão importante que estes restaurantes desenvolvam cada vez mais essa sensibilidade e coloquem alternativas de qualidade nos seus menus.

Dou-vos vários exemplos de comida tradicional portuguesa vegetariana que poderiam ser muito bem exploradas na nossa restauração:

  • Entradas:

– azeitonas (que podem ser temperadas das mais variadas formas);

– cebola rachada com vinagre e sal (típico em Trás-os-Montes);

– vários tipos de broa e pão;

– azeite simples ou temperado com ervas aromáticas, para molhar o pão;

– queijos nacionais belíssimos (para quem não é vegano) como requeijão, queijos frescos, curados, amanteigados entre outros;

  • Sopas:

Há uma infinidade de alternativas que não vou enumerar aqui, mas destaco a sopa à lavrador, com couves variadas e feijão. É conhecida por ser tão densa que deixa a colher na vertical no prato. Nas aldeias quem vivia da terra e se levantava cedo, era este muitas vezes seu o pequeno almoço.

  • Pratos:

– favas estufadas ou arroz de favas;

– feijoada de cogumelos;

– peixinhos da horta;

– arroz malandrinho de tomate, legumes ou feijão;

– espargos grelhados ou salteados;

– cogumelos de várias espécies salteados;

– grelos, migas;

– salada de feijão frade com molho verde;

– legumes grelhados ou em espetada na brasa;

– salada de pimentos;

– açorda de pimentos e azeitona;

– rissóis de cogumelos ou vegetais;

– bôla de azeitona;

– pataniscas de vegetais.

Alguns pratos que referi são adaptados, mas uma boa parte são originais.

Temos restaurantes no Porto a comunicar muito bem e com algumas destas excelentes alternativas, mas precisamos de mais a aderir.

Quando um turista vem à cidade do Porto, e tem um regime alimentar como o vegetariano, quer usufruir de uma experiência única que não seja repetível em nenhuma outra parte do mundo.

A comida portuguesa é riquíssima em ingredientes, muito variada e saborosa. Retirando a carne e o peixe sobram muitos pratos fantásticos que cabe aos restaurantes tradicionais explorar.

14741567_10209819111187221_823814936_n

Como trabalho com turismo, sou confrontada muitas vezes, com pedidos especiais de pessoas que mesmo não sendo vegetarianas, querem alternativas mais leves, sem sair do tradicional.

Comparo a experiência que um turista pode fazer com a nossa comida como a que se pode fazer com a indiana. Na Índia os pratos vegetarianos são adaptados à sua culinária base. É certo que têm enraizado a cultura do vegetarianismo, mas nem por isso, fazem hambúrgueres vegetais ou saladas com sementes de chia.

O que o turista pretende é a essência da cidade através da sua gastronomia e não comer pratos internacionais vegetarianos, que pode comer em qualquer parte do mundo!

foto-sandeira

Se alguns leitores tiverem restaurantes de comida tradicional, por favor tenham em consideração que só têm a lucrar em acrescentar ao menu, pratos que já servem, mas sem as carnes. Não vos vai dar mais trabalho e será um sucesso entre locais e estrangeiros.

Aos vegetarianos peço que continuem a frequentar estes restaurantes e que insistam em pedir as alternativas que eles já têm, mas que não sabem comunicar. Quantos mais fizermos isso, mais ajudamos a mudar mentalidades.

À semelhança do que já fez Barcelona, poderíamos ser também uma cidade Veggie-friendly. Temos todos os requisitos, é só mudar a forma de comunicar!

Espero com este artigo, ter-vos dado um outro ponto de vista da cidade e que me ajudem a pô-la no mapa do Turismo Vegetariano Mundial.

Aguardo os vossos comentários e partilhem as vossas experiências!!!

foto-taberna

 

 

 

 

2 Comentários
  1. Adoro “bacalhau” à Brás.O bacalhau é alho francês.
    Tripas à moda do Porto em que as tripas são os cogumelos.
    Almondegas com puré. As almôndegas são feitas de nozes moídas.
    Etc. Etc.

  2. Olá Maria, não sendo vegetariana, sou daquelas que olha sempre para essas alternativas para variar. Vou estar mais atenta ao assunto. Obrigada e votos de sucesso.
    Ana Barros Leite

Deixar um comentário

O seu endereço de email nunca será partilhado com terceiros.

Vocês pode usar estes tags e atributos em HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Olá

Chamo-me Maria e vivo no Porto, em Portugal.
Este blog é dedicado ao meu estilo de vida e a tudo aquilo que me inspira!
Tornar-me vegetariana em Janeiro de 2002, mudou muito a minha vida e ainda hoje é um aprendizado constante!

Segue-me no instagram!.